8 de julho de 2014

Projeto para Doulas Voluntárias

Desenho de Teresa Lucena para as 
Doulas Independente, daqui

por Cariny Cielo

Anos com a ideia na cabeça, meses com a ideia no papel... agora, nasceu! Nasceu aqui em Cacoal um projeto que permite o trabalho de Doulas voluntárias na maternidade pública e deixo aqui de sugestão o interior teor do trabalho para que outras doulas, se assim quiserem, possam dar entrada em outras maternidades pelo país afora. Em Cacoal, interior de Rondônia, o projeto foi aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde, recebeu revisões da Direção Clínica e, agora, segue para implantação.

O projeto consiste, basicamente, em um hospital ou maternidade permitir a presença e o trabalho de doulas voluntárias nos plantões obstétricos dos profissionais que aderirem ao projeto.

O serviço voluntário é legítimo, amparado por lei e costuma ser excelente ferramenta de melhorias. Em se tratando do trabalho de doulas, ainda pouco comum no brasil, o serviço voluntário ganha aspectos positivos com relação à mutualidade, ou seja, benefícios para ambas as partes. Ganha a doula com experiência e vivências únicas relacionadas à realidade obstétrica do local e ganha a unidade de saúde e, mais ainda, as usuárias do serviço de saúde por poderem dispor de um serviço da mais alta qualidade e com resultados comprovadamente positivos.

Projeto sendo apresentado na Reunião do 
Conselho Municipal de Saúde de Cacoal, Rondônia


O roteiro que sugiro para a implantação, pela experiência que vivenciamos aqui em Cacoal, seria o seguinte:

1º . Confecção do projeto com todos os anexos, analisando as peculiaridades locais. O projeto deve ter um responsável, que é o relator ou relatora. No entanto, a ação pode/deve ser mobilizada por várias pessoas, todas as doulas da região, por exemplo.

2º. Com o projeto em mãos, marcar uma reunião com algum conselheiro municipal de saúde para apresentar a proposta e pedir para ser incluída em pauta da próxima reunião.

3º. Na reunião do conselho municipal de saúde, participar em peso, quanto mais interessados melhor, demonstrando o projeto e apontando o que é doula e quais os benefícios do serviço de uma na unidade de saúde. Aqui, fomos eu e a Doula Suélen da Luz do Nascer, pois somos as únicas doulas de Cacoal.

4º. Dependendo do local, a Direção Clínica poderá desejar participar da confecção do projeto para ajustes, aprimoramentos. É a fase de ajustes, discussão etc... Aqui, contamos com a análise do Diretor Clínico à época, que é medico pediatra e da apoiadora Rede Cegonha para a região, que é enfermeira obstétrica.

5º. Após todos os ajustes, alterações, enfim, quando tudo estiver prontinho para dar início, é hora de submeter o projeto à Direção Administrativa da unidade, conforme requerimento que fecha este texto.


Longe deste trabalho ser um fim em si mesmo, acredito, inclusive, que com a implantação formal ele sofrerá ajustes, adaptações, melhorias. Um projeto é algo vivo, que nasce, cresce, vai se desenvolvendo...

Aqui eu trouxe sugestão de peças que integram o projeto para replicação em todo o país. Imagino que também irão surgir melhorias e espero que essa melhoria possa chegar até aqui, na forma de comentários, para que possamos aprimorar o trabalho... sempre!


PROJETO:

PROJETO-PILOTO

“Doulas voluntárias no atendimento materno infantil” 
(aqui dê nome ao seu projeto)


IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO PROJETO:
(Aqui coloque o nome da responsável pela elaboração do projeto)

Nome: ..............................................
Formação: ................................................
E-mail:.....................................................
Telefone para Contato: ..........................................

Palavras-Chave: DOULAS / PARTO HUMANIZADO / APOIO CONTÍNUO

Resumo: Atendimento voluntário de profissionais Doulas, juntamente com a equipe médica e de enfermagem responsável, a parturientes que procurarem os serviços de saúde do Hospital Materno Infantil de Cacoal.

Órgãos Envolvidos: Hospital ..... , Secretaria de Saúde do Município........ e Conselho Municipal de Saúde

Execução: Doulas para apoio contínuo à parturiente, em apoio à equipe médica e de enfermagem responsável.

Executores: Doulas cadastradas, conforme formulário próprio (Anexo I).

Localização: (Endereço completo da ou das unidades de saúde)

Público-Alvo: Usuárias do serviço público de saúde. Gestantes, parturientes e puérperas.

Duração: 1 ano de projeto piloto, com possibilidade de prorrogação. (ou conforme entendimento).

Justificativa: (apresentar o índice de nascimentos por cirurgia, conforme pesquisa no DATASUS e apontar que está bem abaixo do recomendado pela OMS.)
O Estado ou Município tal ....... possui índices de nascimentos por cirurgia em .....
Fonte: DATA SUS:
http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?idb2011/f08.def
http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinasc/cnv/nvuf.def

Tal índice está muito acima do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (que é de 10-15%). Conforme recomendação da Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde os partos normais deve ser atendidos com o mínimo de intervenção e sem procedimentos realizados de rotina.
Fonte: Guia da Organização Mundial de Saúde no atendimento ao parto normal http://www.bionascimento.com/index2.php?option=com_content&do_pdf=1&id=19

Pesquisas realizadas na última década demonstraram que, sob a supervisão de uma Doula, o parto evolui com maior tranqüilidade e rapidez e com menos dor e complicações tanto maternas como fetais.

Doulas são mulheres que trabalham dando assistência a mulheres em trabalho de parto e oferecendo informação durante a gestação e pós-parto.

Com a difusão da nova profissão, poderá também ocorrer uma substancial redução de custos para os sistemas de saúde, graças à redução do número de intervenções médicas e do tempo de internação de mães e bebês.

Trata-se de um recurso com eficácia comprovada por evidências científicas. O trabalho das Doulas em apoio contínuo durante o trabalho de parto tem reflexos positivos nestas duas situações: a) excesso de cesarianas e b) partos normais com intervenções desnecessárias.

Em 2012, Hodnett et al. publicou uma revisão atualizada em Cochrane sobre o uso contínuo de apoio para mulheres durante o parto. Eles juntaram resultados de 22 estudos que incluíam mais de 15 mil mulheres. Essas mulheres foram randomizadas para receber apoio contínuo individual durante o parto.
Quando o suporte de trabalho contínuo foi fornecido por uma Doula, foram estes os resultados:
1. Diminuição de 31 % na utilização de oxitocina
2. Diminuição de 28 % no risco de cesárea
3. Aumento de 12% na probabilidade de um parto vaginal espontâneo
4. 9 % de redução no uso de qualquer medicação para o alívio da dor
5. Diminuição de 14 % no risco de recém-nascidos a ser internado em um berçário de cuidados especiais
6. 34 % de redução no risco de estar insatisfeita com a experiência do nascimento

Referencias:
1. Caton, D., M. P. Corry, et al. (2002). “The nature and management of labor pain: executive summary.” Am J Obstet Gynecol 186(5 Suppl Nature): S1-15.
2. Declercq ER, Sakala C, Corry MP, Applebaum S. (2007). “Listening to mothers II: Report of the second national U.S. survey of women’s childbearing experiences.” The Journal of Perinatal Education 16:9-14.
3. Hodnett, E. D. (2002). “Pain and women’s satisfaction with the experience of childbirth: a systematic review.” Am J Obstet Gynecol 186(5 Suppl Nature): S160-172.
4. Hodnett, E. D., S. Gates, et al. (2012). “Continuous support for women during childbirth.” Cochrane database of systematic reviews: CD003766.
5. Hofmeyr, G. J., V. C. Nikodem, et al. (1991). “Companionship to modify the clinical birth environment: effects on progress and perceptions of labour, and breastfeeding.” British journal of obstetrics and gynaecology 98(8): 756-764.
Fonte: http://evidencebasedbirth.com/the-evidence-for-Doulas/

Objetivos gerais: melhorar a experiência de parto através de apoio físico e emocional e por meio de métodos não farmacológicos de alívio da dor; reduzir as intervenções no parto normal através do suporte contínuo durante o trabalho de parto e parto; melhorar as condições de nascimento do neonato por meio do estímulo ao parto ativo e não medicalizado; melhorar o vínculo mãe-bebê por meio do estímulo à amamentação na primeira hora e da vivência positiva do parto.

Objetivos específicos: oferecer apoio contínuo à mulher em trabalho de parto e pós-parto; orientar gestantes e família sobre melhores condições de parto e amamentação.

Metodologia:
1. Acompanhamento de plantões obstétricos, voluntariamente, por parte de profissionais Doulas no Hospital ............................., sob supervisão dos médicos e/ou enfermeiros plantonistas
2. As Doulas interessadas deverão fazer cadastro através de formulário próprio (Anexo I) e firmar Termo de Consentimento e Responsabilidade (Anexo III). Assim que tiverem o cadastro aprovado pela Direção Clínica, terão acesso ao Hospital ........................., área pré-parto, bloco cirúrgico e pós-parto, durante os plantões dos médicos que aderirem ao projeto piloto, para permanência durante o período matutino, vespertino ou noturno.
As Doulas poderão ser contatadas em outros horários pela equipe médica ou de enfermagem e poderão apresentar-se, de acordo com disponibilidade.

3. O serviço consiste em atendimento de apoio contínuo, sustentado pelos protocolos da Organização Mundial de Saúde no atendimento ao parto normal, às parturientes que manifestarem interesse em ser acompanhadas por uma Doula, nos plantões dos profissionais médicos obstetras que optarem por participar do projeto-piloto e assinarem o Termo de Adesão junto à Direção Clínica.

4. Após o atendimento, a parturiente será abordada para preencher a Pesquisa de Satisfação (anexo II), para que seja possível avaliar os resultados do projeto.

5. Fluxo de atendimento:
I) A parturiente chega até a unidade de saúde e é avaliada pelos profissionais plantonistas.
Se estiver em franco trabalho de parto e apresentar boas condições de saúde, é consultada acerca do interesse em usufruir do serviço de Doulas na maternidade. Isso deverá ser anotado em seu prontuário médico.
A parturiente ficará em contato permanente com a Doula, recebendo o monitoramento da equipe médica e de enfermagem, conforme protocolo da unidade.
II) A parturiente chega até a unidade de saúde e é avaliada pelos profissionais plantonistas.
Se estiver em pródomos, poderá ser encaminhada à Doula que estiver no plantão para se informar acerca da dinâmica do trabalho de parto e poderá escolher entre retornar pra casa ou internar e receber os serviços de Doulagem.

Em qualquer situação, a atuação das Doulas ficará a critério do interesse da parturiente e conforme aval do profissional médico ou enfermeiro plantonista. A parturiente será informada de que poderá, a qualquer momento, dispensar os serviços da Doula.

Recursos materiais: Pode ser usado: bola suíça, chuveiro quente, massageadores, banheira inflável, rebozo, banqueta, aparelho de som, óleo vegetal. Além de outros utensílios reconhecidamente aptos a melhorar as condições do trabalho de parto.
Pode incluir: massagens, deambulação, relaxamento, encorajamento, sugestão de posturas, sugestão de atividades, informação, acupressão.

Legalidade e competências para o projeto: Doula é uma ocupação oficialmente reconhecida pelo Ministério do Trabalho, código nº 3221-35, desde Janeiro de 2013.
Cabe a Doula oferecer à parturiente, apoio físico e emocional durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato. Ela utiliza métodos não farmacológicos de alívio da dor como massagens, compressas, utilização de bola de ginástica, banqueta de parto, técnicas de respiração, movimentos corporais e posições para ajudar na descida do bebê através do canal pélvico, utilização da água morna, através de banho no chuveiro ou banheira. Usa também técnicas de relaxamento e oferece, sempre que possível, um ambiente acolhedor, com iluminação reduzida e música, se a parturiente desejar.

A Doula incentiva a mulher a ser protagonista do nascimento do seu filho. Orienta e informa acerca das etapas do trabalho de parto, do pós-parto e incentiva a amamentação, tudo conforme é preconizado no documento da Organização Mundial de Saúde: Boas Práticas de Atenção ao Parto e Nascimento.

A Doula não realiza procedimentos técnicos ou médicos como ausculta fetal, exame de toque. Sua função é dar apoio emocional, encorajamento e suporte com informações a respeito da gestação, parto e pós-parto/amamentação.

Avaliação: Serão realizados relatórios ao final de cada semestre para análise dos resultados obtidos, dificuldades surgidas, obstáculos superados. Os relatórios serão entregas ao Conselho Municipal de Saúde para acompanhamento.


ANEXO I: Ficha de Cadastro de Doula
(Qualquer doula interessada poderá preencher o cadastro e submeter à Direção do hospital, juntando cópia de documentos pessoais e do certificado de formação)




ANEXO II: Pesquisa de satisfação para coleta de resultados
(Aqui criamos esta pesquisa pós serviço, para avaliarmos e termos condições de acompanhar os resultados do trabalho da doula. A ideia é a pesquisa ser feita sem identificação, no dia posterior ao parto, antes da alta da parturiente)




ANEXO III: Termo de Consentimento e Responsabilidade
(Alguns hospitais usam termos como este e é interessante para respaldo jurídico, de ambas as partes. Este é inspirado no utilizado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Com algumas adaptações, basicamente o texto tem a mesma finalidade)

TERMO DE CONSENTIMENTO E RESPONSABILIDADE DE ASSISTÊNCIA FÍSICA E EMOCIONAL AO PARTO NO .......................................................... (anexar à Ficha de Cadastro da Doula)



Eu, .............................................................. Doula regularmente cadastrada neste Hospital conforme Anexo I do Projeto Doulas no ........................., DECLARO, para os devidos fins de fato e de direito QUE:

1.Prestarei assistência física e emocional voluntária e, portanto, sem fins lucrativos, durante o parto das pacientes internadas no Hospital ................................................... que, após conheceram meu trabalho, manifestarem interesse em receber os serviços de uma doula.

2. Prestarei assistência física e emocional à parturiente, ficando vedada qualquer atividade e/ou conduta que interfira no atendimento médico-hospitalar durante o pré-parto, o parto ou o pós-parto.

3. As atividades e funções por mim exercidas se restringirão à assistência física e emocional da parturiente, ficando vedados atos médicos ou de enfermagem (ainda que eu tenha formação para tal), tais como, mas não só: indicar ou realizar exames e/ou manobras médicas, utilizar ou manusear equipamentos médicos, cirúrgicos, de monitoramento, enfermagem e/ou ministrar medicamentos. Responsabilizo-me integralmente pelas atividades e funções exercidas na assistência ao parto, isentando o hospital, médicos e equipe de enfermagem, quanto à conduta por mim praticada.

4. Seguirei as recomendações da equipe médica, hospitalar e de enfermagem, comprometendo-me a garantir a segurança e o bem-estar da parturiente e do recém-nascido e a contribuir para o perfeito atendimento à parturiente.

5. Obtive expressamente o consentimento do médico obstetra da parturiente para ingresso na sala de parto, conforme adesão ao projeto.

6. Tenho ciência e concordo que ficará a critério exclusivo da equipe médica e de enfermagem autorizar a entrada, na sala de parto, de equipamentos, aparelhos, utensílio por mim levados, devendo para tanto dar ciência plena à equipe médica e de enfermagem quanto a estes. Comprometo-me, ainda, a suspender a qualquer momento, atividades que não estejam contribuindo para o parto, atendendo a solicitação da equipe médica ou de enfermagem.

7. Tenho ciência e concordo que em havendo a necessidade de intervenção cirúrgica de qualquer ordem na parturiente e/ou recém-nascido, bem como em caso de intercorrência médica, estarei proibida de fazer ou continuar a assistência ao parto, devendo para tanto me retirar do recinto.

8. Tenho ciência e concordo que a ofensa a qualquer destas condições implicará em descumprimento das condições do termo, podendo ser suspenso o cadastro para a atividade de doula perante o hospital, sem prejuízo das sanções cíveis e criminais.

Local, data ......../........./........

Assinatura da Doula


ANEXO IV: Consentimento da parturiente e do obstetra e acompanhamento da doula
(É importante dispor, expressamente, do consentimento da parturiente e do médico obstetra e também acompanhar com registros tudo que está sendo feito com aquele atendimento)




REQUERIMENTO À DIREÇÃO ADMINISTRATIVA DO HOSPITAL:
(Com tudo pronto, imprimir este requerimento e protocolar na Direção administrativa do hospital)


ILUSTRÍSSIMO(A) SENHOR(A) DIRETOR(A) ADMINISTRATIVO(A) DO HOSPITAL ......................................................................, FULANO(A) DE TAL





Fulana de tal (qualificação civil completa da responsável pelo projeto), vem à presença de vossa senhoria apresentar a versão final e revisada do Projeto-Piloto “Doulas no Hospital ........................" e expor, conforme abaixo:

1. Em reunião do Conselho Municipal de Saúde deste município ocorrida em ...................do ano em curso, o presente projeto foi apresentado e aprovado para implantação neste município.

2. Com as revisões devidas e acrescidos os anexos necessários ao aperfeiçoamento, o projeto encontra-se pronto para implantação.

Assim, é o presente para apresentar o projeto finalizado ao arbítrio da Direção Administrativa e REQUERER que vossa senhoria autorize o início da implantação, cuja íntegra segue em anexo.

Nestes termos, aguarda deferimento.

Local, data.

Assinatura


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...