6 de abril de 2017

Relato de Parto da Adriana: Parto domiciliar em Porto Velho


RELATO DE PARTO DOMICILIAR: Empoderamento e amor definem esse momento

Por: Adriana Maria de Andrade

O começo de tudo...

Sou Adriana Maria, tenho 31 anos, esposa do Túlio e agora mamãe do Heitor. Enfermeira, baiana, residente em Rondônia há seis anos. Discorrer a respeito das minhas percepções em relação ao meu parto domiciliar, considerado um dos eventos mais especiais nas nossas vidas (ou o mais especial de todos!!), consiste, por si só, em uma oportunidade singular, considerando a importância desse momento permeado por sentimentos maravilhosos e até indescritíveis. Para tanto, faz-se necessário relembrar os caminhos que nos levaram a essa importante decisão. Isso implica revivê-los em alguns pequenos e importantes detalhes, que influenciaram direta ou indiretamente nesse processo.

Este relato objetiva promover uma reflexão a respeito do meu parto, no sentido de auxiliar na disseminação da ideia do parto natural humanizado, bem como ajudar as futuras mamães que estão à busca de encorajamento para esse momento que é único na vida de cada mulher, de cada família. No intuito de possibilitar maior compreensão sobre o despertar do meu interesse nessa ideia e a efetivação da mesma, farei uma breve contextualização.

Bem, a minha gestação não foi planejada (embora tenha sido recebida como um presente!), pois os nossos planos seriam para o próximo ano, após a conclusão de alguns projetos como mestrado, viagens, entre outros. No entanto, meu filho Heitor resolveu se antecipar, e, na troca de anticoncepcional - Bingo!! - engravidei. Pelos meus cálculos acredito que engravidei na semana que inauguramos nossa casa nova - acho que meu bebê descobriu que já tinha um quartinho e um quintal grande para brincar, e assim decidiu chegar!

Descobri que estava grávida já com 6 semanas, ao passar mal na aula de mestrado e aceitar a sugestão da minha amiga Tássya em fazer o Beta HCG. Ao receber o resultado tive uns 10 minutos de confusão de sentimentos, um misto de alegria, euforia, felicidade, insegurança, medo, ansiedade... Enfim, um turbilhão de emoções. Era véspera do Dia dos Namorados, então resolvi guardar a notícia para presentear o meu marido Túlio no dia seguinte. E meu Deus, como foi difícil segurar o segredo!! E assim, no nosso jantar do dia 12/06/16 pedi ao garçom que trouxesse junto com os pratos servidos o presente do meu amor: um lindo par de sapatinhos que trouxemos de uma viagem à Argentina, já pensando no nosso futuro baby. E gente, olha a reação do meu marido: (misto de sentimentos)...





O despertar do interesse no parto domiciliar

A partir desse dia nossa vida deu uma virada de 360º. Tudo passou a ser planejado e pensado para três, vieram os exames, pré-natal, cuidados, adaptações. Optamos por realizar o pré-natal na atenção básica da rede pública de saúde, acompanhados pela Dra. Giseli, uma grande amiga. A decisão por acompanhar na rede pública não foi por acaso, pois já estava decidida desde o início que queria parto normal, e nesse sentido, os profissionais que atuam na rede pública tendem a interferir menos e apoiar mais essa decisão. E eu, claro, não queria ser convencida do contrário. O Túlio, como sempre, foi um super-parceiro nesse processo. Passamos a ler e discutir bastante a respeito de tudo que envolvia a gestação, parto, bebê. E nessas pesquisas, encontrei vários relatos de parto domiciliar, e passei a sonhar com isso! Mas tudo que lia se referia a experiências em locais fora de Rondônia, não imaginava que seria possível realizá-lo aqui.


A minha visão sobre gestação e parto sempre foi como um processo natural, familiar, acolhedor, e não como doença, de maneira que optei por vivenciá-lo na sua essência, com o mínimo de intervenções possíveis. Passei então a me preparar física e psicologicamente para esse momento: Ingressei no pilates, ioga, algumas caminhadas... E claro, o mais importante de tudo: informação! Sim, porque informações corretas, positivas e de fontes confiáveis são a base para nos transmitir segurança e coragem.


No meu relacionamento com o Túlio tudo tem sido sempre muito especial, buscamos valorizar cada conquista, cada detalhe, cada momento. A ideia de que o nosso filho pudesse nascer no momento dele, de forma tranquila, acolhedora, no aconchego do nosso lar e cercado pelas pessoas que amamos cada dia mais tomava forma na minha cabeça. Então, um belo dia, conversando por acaso com uma colega de mestrado, a mais que querida Sandra, descobri que ela tinha uma empresa parto humanizado, a Bello Parto. Nem preciso dizer o quanto fiquei feliz e empolgada né? Aí sim, comecei a me preparar ainda mais para realizar meu sonho maternal.


O caminho até a chegada de Heitor


Comecei a acompanhar com a equipe Bello Parto a partir das 30 semanas, já com a certeza de se tratar de uma gestação de baixo risco, tranquila. As meninas (Sandra, Naira e Izabella) foram maravilhosas comigo em todo o processo, desde as reuniões com a minha família (marido e primas) até o pós-parto, sempre nos prestando muita atenção e apoio. Também contratamos a Helena como doula, que já me acompanhava na ioga para gestante, e gente, ela foi simplesmente perfeita! Um dos melhores investimentos da minha gestação!! Assim como a equipe Bello Parto, a Helena me transmitia segurança, tranquilidade, apoio, e força, trabalhando muito meu equilíbrio e paz interior.





Nas últimas semanas de gestação me senti um pouco mais ansiosa, principalmente ao imaginar o quanto nossas vidas seriam modificadas, mas não cheguei ao ponto de perder o sono ou me desesperar. O acompanhamento da equipe foi fundamental nesse sentido. No dia 03 de fevereiro ganhei das meninas um lindo Chá de Bênçãos, um dos momentos mais especiais que já vivi, onde participaram as minhas amigas mais próximas, meu marido e a equipe, com direito a desenho do Heitor na minha barriga, lava-pés, músicas do trabalho de parto, discursos, desejos de bom parto e boas energias, enfim, momentos únicos e maravilhosos!








Trabalhei até a véspera do nascimento de Heitor, e trabalharia no dia D, só não fui porque tinha uma consulta na data. Mas vamos lá, relembrar como foi o dia mais importante da minha vida!!


Bem, acordei no dia 14/02/17 umas 7hs da manhã, já sentindo algumas contrações bem leves e irregulares, mas com frequência beeeeem espaçada. Daí já imaginei que o momento estava chegando, considerando que eu já estava com 40 semanas e 3 dias de gestação. Fui à consulta, mas não deu certo devido a um problema na agenda da unidade de saúde.


Então falei para o Túlio: “Amor, eu acho que o Heitor chega hoje, então vamos resolver todas as pendências que temos, comprar tudo o que falta e nos preparar para receber nosso príncipe!”. E assim fizemos. Reconferi pela milésima vez o material do check-list de parto domiciliar entregue pela equipe, revisei a limpeza e organização do nosso quarto e banheira, fomos ao supermercado e compramos bastante suco, sorvete e tudo que eu queria comer no momento do parto. Até aí já foi a manhã inteira.




Fomos almoçar com minha sogra, e então a partir das 13hs percebi que a frequência das contrações estava maior, e a intensidade também. Entrei em contato com a equipe, que prontamente veio me avaliar. A Sandra constatou que estava tudo bem comigo e o bebê, me passou todas as orientações necessárias, e continuamos monitorando a frequência e intensidade das contrações, (baixei um aplicativo no celular que ajudou muito!) e mantivemos o contato todo momento com todas as enfermeiras e doula. Conforme orientado, resolvi descansar e tentar dormir um pouco a tarde e me preparar para o momento. Mas não consegui dormir. À noite as contrações estavam já bem doloridas, e então comecei a reclamar da dor, mas ninguém tava ainda acreditando que já tivesse muito próximo, pois a minha reação estava bem tranquila. Até eu me surpreendi com a tranquilidade com que estava lidando com esse momento, mas agradeço muito a Deus ter sido dessa maneira.


Às 22hs a dor já estava bem insuportável, e as contrações muito regulares, com média de 2 minutos de frequência e intensidade forte. Então optamos por realizar o toque e, surpresaaa: 8 centímetros de dilatação. Fiquei super empolgada com essa notícia, e todos que estavam comigo também. A minha inquietação aumentou, buscava muito uma posição que a dor fosse embora. Mas aí concentrei na respiração, nos exercícios com a bola, aromaterapia, musicoterapia, e claro, as massagens maravilhosas da Helena e do Túlio. E gente, é sério: Tudo funciona muitoooo! Colocamos a playlist com mais de 60 músicas escolhidas a dedo que preparei para esse momento, a Helena colocou uma óleo de lavanda no quarto, o Tulio preparou a banheira e assim foram passando as horas...





Eu decidi ocupar minha mente com o pensamento de que cada contração que vinha era uma a menos para a chegada do meu bebê. E assim foi. Em cada contração eu apertava forte a mão do Túlio e/ou da Helena, e reclamava da dor, mas a cumplicidade e apoio que eu observava no olhar e nas palavras de todos ali presentes me motivava e passava uma segurança inexplicável.




E assim consegui me manter tranquila e forte madrugada adentro. Fiz diversas tentativas de parir na banheira, conforme eu tinha planejado, as não consegui pois as contrações ficavam menos intensas e eu perdia um pouco a força, então decidi ir para o quarto. Também pensei em caminhar no nosso quintal, mas chegando na porta resolvi voltar correndo para o quarto. Era uma inquietação sem limite!!! (risos).


Às 4h42 do dia 15/02/17, depois de uma supercontração o momento mágico: Meu filho bem ali, ao alcance das nossas mãos, em um momento simplesmente indescritível. Uma emoção sem igual. Eu já não sabia se ria ou se chorava, experimentei um misto de sensações maravilhosas...




Como foi bom receber nosso bebê no aconchego do nosso lar, envolvê-lo em meus braços e amamentar no seu primeiro minuto de vida! Heitor nasceu no melhor ambiente que poderíamos proporcioná-lo, cercado de amor, de respeito, de tranquilidade e de acolhimento, e na prática foi muito melhor do que planejamos e sonhamos por toda a gestação. Não dá para descrever o quanto me senti realizada, empoderada, feliz por ter proporcionado esse momento lindo ao meu filho.





A nossa casa parece um sítio em meio a cidade, cheia de plantas, frutas, bichinhos de estimação, tudo cuidado com muito carinho. E tenho que admitir que foi muito engraçado o comportamento da minha gata Misa, que ficava na porta e janela do meu quarto a todo momento, com seus grandes olhos azuis observando toda a movimentação da casa, e em qualquer vacilo quando alguém saía ela corria para perto de mim, como que cuidando, me dando apoio!


E sem contar a beleza que foi poucos minutos depois do nascimento do Heitor, o dia amanhecendo e os muitos pássaros cantando nos galhos da mangueira na minha janela, juro que parecia cena de filme! Mas o melhor foi poder curtir com o meu marido os primeiros momentos de vida do nosso bebê, sem intervenções desnecessárias, curtindo o silêncio que era quebrado apenas pelas nossas respirações e suspiros de admiração! E a emoção do Túlio ao cortar o cordão umbilical do Heitor então... Enfim, momentos únicos na nossa vida, que ficarão guardados para sempre nas nossas memórias, e que com certeza teremos o maior prazer em compartilhar com o nosso filho no futuro.




Nos dias seguintes ao parto continuamos sendo acompanhados diariamente pela equipe, que fez os primeiros acompanhamentos e orientações a mim e ao Heitor, todo o suporte nos primeiros cuidados, tais como os banhos do bebê, cuidados com o coto umbilical, cuidados puerperais, massagens, novas rotinas entre outros tanto. E ainda nos ajudaram a realizar o ritual lindo da placenta, registrando em uma tela o carimbo da placenta e do cordão umbilical. O Heitor ganhou da vovó paterna um Pé de Jabuticaba, que foi batizada como a sua árvore da vida, e nós a plantamos no quintal, em frente a janela do quartinho dele, com a placenta plantada abaixo das raízes da árvore.




E assim construímos mais uma parte da nossa linda história. Os dias que se passaram após o parto têm sido cheios de novidades, cada gritinho, cada sorriso, cada olhar, cada gestinho do Heitor nos encanta. É o nosso príncipe lindo.




E afirmo para vocês, valeu apena cada minuto, e caso tenhamos mais filhos não tenho dúvidas que optaria pela mesma maneira e tipo de parto! Só tenho a agradecer, primeiramente a Deus, meu marido Túlio, Helena, Sandra, Izabella, Naira, e claro, ao príncipe lindo Heitor, protagonista de todo o processo.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...